Sobre

A navegação nos Acervos da Cultura do RS pode ser feita por meio da barra de busca, digitando termos específicos, ou através dos links disponíveis no cabeçalho: "acervos", "pessoas e organizações", "instituições", "assuntos", "locais" e "objetos digitais".

  • Acervos: lista todos os acervos de nível superior disponíveis no banco de dados, isto é, todos aqueles conjuntos de documentos que não são parte de um conjunto maior. Os acervos de nível superior podem ter diferentes graus de detalhamento, de dados básicos a descrições minuciosas de conteúdos, inclusive, versões digitalizadas de documentos. As informações sobre acervos estão disponíveis em um dos dois padrões de elementos de descrição, dependendo das características do acervo: (1) descrição na Norma Geral Internacional de Descrição Arquivística (ISAD-G) do Conselho Internacional de Arquivos (ICA), indicado para acervos arquivísticos; (2) descrição utilizando metadados do padrão Dublin Core, que pode ser usado para todos os tipos de acervos.

  • Pessoas e organizações: lista nomes de pessoas e organizações que foram registradas com a finalidade de caracterizar ou indexar os acervos. As pessoas e organizações podem ser produtores de acervos arquivísticos ou estarem associadas à autoria ou ao assunto de determinados acervos.

  • Instituições: exibe as instituições detentoras de acervos da Secretaria da Cultura do Rio Grande do Sul que disponibilizaram conteúdos nos Acervos da Cultura do RS.

  • Assuntos: lista termos de assuntos, utilizados para indexar os acervos disponíveis. Por exemplo, "Campanha da Legalidade".

  • Locais: lista termos de locais, utilizados para indexar os acervos disponíveis. Há três tipos de termos: países; estados e municípios brasileiros; e regiões do Rio Grande do Sul, conforme os Conselhos Regionais de Desenvolvimento (COREDES).

  • Objetos digitais: exibe todas as representações digitais de documentos disponíveis. Por exemplo, fotografias da Campanha da Legalidade.


A exportação de informações de um acervo para formato XML e padrão de metadados Dublin Core pode ser feita pelo link "Dublin Core 1.1 XML", quando estiver disponível. Além disso, todos os tipos de registros que contêm o símbolo de um clipe ou o link "Adicionar à área de transferência" podem ser adicionados à área de transferência, gerenciável através do menu com o símbolo de um clipe na barra superior do lado direito do site. Ao clicar naquele menu, há quatro opções:

  1. "Limpar": esvazia a área de transferência de tudo que foi previamente adicionado.
  2. "Visualizar": exibe tudo que foi adicionado à área de transferência de acordo com os seguintes filtros: "descrições", "instituições" e "pessoas e organizações". Esta é a página que permite exportar informações para os formatos XML ou CSV.
  3. "Salvar e obter ID": salva todos os conteúdos adicionados à lista de transferência e fornece um número identificador para resgatar esses conteúdos posteriormente.
  4. "Carregar ID" abre o campo para entrada do número identificador obtido previamente em "Salvar e obter ID", permitindo resgatar os conteúdos salvos.

Atenção: o ID fornecido expira em, no máximo, um dia. Recomenda-se efetivar a exportação dos conteúdos adicionados à área de transferência o mais breve possível.


Os Acervos da Cultura do RS utilizam a aplicação gratuita e código aberto Access to Memory (AtoM).